Navegar no Blog Adzuna »

13 Profissões em Tecnologia para apostar em 2020

ferramentas cientista de dados

Como a crise financeira está lentamente diminuindo o impacto no mercado profissional, as áreas voltadas para a tecnologia se destacam, já que são as mais resistentes.

Isso porque não é possível dispensar a tecnologia nos dias de hoje, ainda mais quando as empresas buscam aumentar a produtividade e eficiência. E é nesse sentido que novas vagas vêm surgindo para suprir a necessidade de implementação tecnológica em empresas e profissionais.

Portanto, se você já começando a planejar o seu 2020, que tal saber quais áreas da tecnologia estarão mais em alta no mercado?
Pensando nos jovens que estão ingressando no mercado ou em profissionais dispostos a mudar para uma área que visa o futuro, separamos neste artigo uma lista especial!

Confira as 13 profissões de tecnologia que você pode apostar em 2020

1. Cientista de dados (ou Data scientist)

O cientista de dados está intimamente ligado a outro termo bastante em alta: a Big Data. Isso porque a grande quantidade de dados gerados atualmente, precisa ser transformada em informações e interpretada para trazer os melhores resultados ao negócio.

Um cientista de dados é um profissional com uma base sólida em computação, matemática, estatística e modelagem, com técnicas capazes de resolver problemas complexos. Ou seja, eles conseguem adquirir um grande volume de dados, organizar e tratá-los, gerando informação e inteligência no campo dos negócios.

Os profissionais cientistas de dados deverão ser capazes de:

  • desenvolver estratégias de dados para elaborar modelos de negócios;
  • dominar frameworks de processamento e armazenamento de dados, como Hadoop e Spark;
  • criar e modelar banco de dados não estruturados;
  • aplicar técnicas de gestão de dados;
  • identificar padrões de comportamento;
  • criar visualizações adequadas dos dados criados.

2. Business Intelligence (BI)

O BI se relaciona em certo ponto com o cientista de dados. Ambos lidam com informação. No entanto, é o especialista em BI o responsável pelos processos de tomada de decisão. Assim, esses profissionais assumem cargos de confiança nas empresas e são os responsáveis por gerir a informação coletada e interpretá-la de maneira inteligente.

Os profissionais especializados em BI são capazes de entender estratégias e necessidades dos mais diferentes tipos de negócio, tendo condições de gerenciar, projetar e desenvolver soluções que auxiliam a tomada de decisões das organizações.

A pós-graduação em BI ensina o profissional a:

  • tomar melhores decisões;
  • testar os conhecimentos usando situações e problemas reais do mercado;
  • conhecer as ferramentas comerciais;
  • e criar um projeto completo de BI.

3. Engenheiro de softwares

A criação de softwares se utiliza dos mesmos processos de construção usados em outras engenharias. Dominar a metodologia de construção desses sistemas é o papel do engenheiro de software. Um bom especialista na área pode vir a desempenhar diversos papéis no mercado de trabalho, como analista de sistemas, analista de requisitos, gerente de projetos, entre outros.

A especialização em engenharia de softwares busca proporcionar aos participantes uma visão ampla e atualizada das tecnologias para desenvolvimento de softwares de forma sistemática e previsível.

O profissional especializado em Engenharia de Software deverá ser capaz de:

  • dominar metodologias ágeis de software;
  • elaborar a engenharia de requisitos;
  • realizar o design de software;
  • entender sobre qualidade de projeto, produto e processo de software;
  • implementar e fazer reuso de software;
  • gerenciar o desenvolvimento;
  • compreender os fundamentos da arquitetura de sistemas web e aplicações de dispositivos móveis;
  • fazer testes sistemáticos.

O papel desempenhado pelo engenheiro de software em empresas é importante pois é ele que toma responsabilidade por toda a especificação e supervisão do produto desenvolvido pela companhia de tecnologia.

4. Desenvolvimento de aplicativos móveis

Essa profissão tem seu foco no futuro da tecnologia: dispositivos móveis. Isso porque esta área ainda está em crescente demanda por desenvolvedores para Android, Windows Phone e iOS. O desenvolvedor de aplicativos pode ter uma alta rentabilidade, podendo trabalhar tanto sozinho quanto em grandes corporações com foco na área.

O desenvolvimento desses aplicativos tem características próprias que são específicas do ambiente, como: baixa memória, tempo de bateria, tamanho de tela, entre outros. Por isso, a especialização nessa área se tornou tão importante, pois ela prepara o desenvolvedor para lidar com esse tipo de situação.

O profissional especialista em aplicações móveis deverá ser capaz de entender, e com a ajuda da graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, se aperfeiçoar:

  • a arquitetura para aplicações móveis;
  • computação em nuvem;
  • Internet das Coisas (IoT);
  • plataformas de desenvolvimento para Android, IOS e Windows Phone;
  • design de interação;
  • desenvolvimento de APIs para Back-end;
  • segurança de aplicações.

Além disso, a formação do profissional conta com conhecimentos em gerência, modelo de negócios, além de análise do mercado.

5. Desenvolvedor de jogos

Os dispositivos móveis citados no tópico anterior trazem também a uma perspectiva maior para o desenvolvimento de jogos para essas plataformas, como a popular plataforma de jogos que é a Steam, que dá visibilidade para empresas de pequeno e médio porte divulgarem seus jogos.

Inclusive, o mercado de jogos no Brasil movimenta mais de 900 milhões de reais, com um crescimento entre 9% e 15% ao ano, sendo responsável pela geração de mais de 4 mil empregos no setor de tecnologia. O profissional desenvolvedor de jogos é capaz de atuar em todas as etapas de criação de um jogo — da concepção e desenvolvimento até a criação de arte.

Desse modo, os cursos de graduação em jogos digitais ensinam ao aluno a:

  • entender o mercado de games;
  • construir jogos para aplicativos móveis;
  • especificar, projetar e desenvolver jogos;
  • conhecer as tecnologias;
  • entender sobre gamificação;
  • empreendedorismo voltado para games.

6. Segurança da informação

Desenvolvedor

Com os avanços tecnológicos, os computadores foram transformados em ferramentas de trabalho, comunicação e armazenamento de dados, aumentando o número de fraudes e crimes virtuais. É preciso a existência de um profissional da área, que faz a junção de habilidades de identificação de perigos e resolução de crises em empresas startups ou privadas no setor público.

Os profissionais, chamados de peritos forenses digitais, são de uma área pouco conhecida no Brasil- e que precisa de uma demanda muito grande de funcionários -, porém de muita importância, que está no mercado há mais de 40 anos.

Para atuar na área, o profissional necessita de algumas habilidades, que a graduação em Defesa Cibernética ensina:

  • profunda capacidade de observação;
  • atenção aos detalhes;
  • afinidade com tecnologias;
  • perfil multidisciplinar;
  • raciocínio lógico;
  • tranquilidade e persistência;
  • inglês avançado;
  • boa habilidade de comunicação oral e escrita.

Além de tudo, o perito faz coleta de evidências digitais à partir de análise dos equipamentos, buscas por materiais da infração, a preservação de provas, e a reunião de informações.

7. Inteligência Artificial (IA)

Com a revolução do mundo digital nos dias de hoje, os serviços estão sendo aprimorados toda hora, como bancos sendo digitalizados, carros autônomos e consultas médicas sendo feitas à partir de históricos virtuais, onde robôs ajudam a tomar decisões.

Artificial Intelligence (Inteligência Artificial) é entendida como uma inteligência que permite às máquinas aprenderem a realizar funções parecidas com as desempenhadas por humanos, de uma forma autônoma. Quando a IA simula uma inteligência como um humano, são processadas bases de padrões registrados em bancos de dados como, Machine Learning e Deep Learning.

Mas não precisa se preocupar, a IA não irá substituir os humanos, apenas fazer uma seleção sobre aqueles profissionais com habilidades específicas, que irão se destacar no mercado de trabalho.

A atuação com especialização em Artificial Intelligence, faz com que profissionais sejam capazes de entender:

  • capacidade analítica;
  • habilidades de comunicação;
  • pensamento crítico;
  • técnicas de negociação;
  • criatividade;
  • inteligência emocional;
  • gestão de pessoas;
  • pensamento crítico.

8. Engenharia Robótica

Quando se fala em transformação digital, vem na cabeça a Robótica Industrial, que é uma área com muitas possibilidades de emprego. Como a substituição do homem pela máquina está crescendo mais a cada dia, a robótica é um campo promissor de se estudar.

A robótica industrial apresenta um lugar importante na área da tecnologia, sendo entendida como a “tarefa que os robôs fazem no chão da fábrica”, a capacidade de manipulação de produtos de uma forma mais rápida, além de precisão e continuidade.

O robotista- também chamado de maestro da indústria 4.0 -, é responsável pela programação dos robôs, pela manutenção/desenvolvimento de novas habilidades de produção de softwares e sistemas de automação, além de acompanhar processos/qualidade das funções, além de serem profissionais que, ao se especializar na área, conseguem se destacar ao atuarem diretamente com a automação de tarefas, como é visto na indústria automotiva e em outras linhas de montagem.

Existem certas habilidades que o profissional especializado em Engenharia Robótica terá que ter:

  • curiosidade;
  • interesse em tecnologia;
  • afinidade com matemática;
  • noções de física (possuir pode ser um grande diferencial competitivo);
  • criatividade;
  • aptidão com tecnologia;
  • noções de programação.

9. Gestor de projetos (Scrum master)

Em todos os segmentos, as pressões da concorrência e as exigências de um novo perfil de consumidor exigem prazos cada vez mais curtos, custos cada vez mais enxutos e qualidade cada vez maior. Foi nessa perspectiva de alta pressão que os profissionais de Gestão de
Projetos passaram a ser extremamente valorizados no mercado.

Atuar em um Project Management Office (PMO) nunca foi tão desafiador como é nos dias de hoje. A questão é que, com as constantes mudanças no mercado, as empresas passaram a reestruturar seus processos internos para ganhar maior flexibilidade e velocidade no atendimento de demanda dos clientes.

Saíram, então, as metodologias tradicionais de projetos para ceder lugar a metodologias ágeis, como Scrum. O Scrum Master é outro profissional muito procurado pelas empresas, principalmente por causa da transformação digital, que alterou a forma de trabalho nas últimas décadas. Guias de boas práticas na área de TI, como ITIL e Cobit, também se tornaram fundamentais no gerenciamento de projetos ligados à tecnologia.

Para a atuação na área, é preciso de algumas habilidades profissionais, que com a graduação em Sistemas de Informação serão melhor compreendidas:

  • capacitação no gerenciamento de times de programação, utilizando metodologias de desenvolvimentos ágeis e processos objetivos;
    liderança;
  • gestão de pessoas;
  • fazer um gerenciamento ágil em equipes de desenvolvimento de software, para que haja economia e qualidade no trabalho da empresa.

10. Gestor de inovação

Atualmente, muitas empresas contam com um departamento jurídico, de recursos humanos e financeiro. O departamento de inovação também é uma tendência de adoção em massa pelas empresas. Essa área até já existe, contudo está vinculada ao departamento de marketing.

Desvincular esse departamento do marketing traz mais autonomia aos profissionais e possibilidade maior de investimento por parte das empresas. Esses profissionais possuem a responsabilidade de integrar a inovação em todas as áreas da empresa, não somente nos produtos comercializados por ela.

Ele deverá buscar novas formas de realizar tarefas a fim de agilizar os processos, tornando-os, dessa forma, mais eficientes. As formações mais recomendadas pelos especialistas para essa profissão até o momento são marketing e especialização em pesquisa de mercado.

Para atuar na área de gestão de inovação, é preciso entender que os profissionais necessitam algumas habilidades:

  • conhecimentos técnicos e boa visão para negócios;
  • aplicação de técnicas e ferramentas;
  • gerar crescimento empresarial;
  • agilidade estratégica;
  • superar metas com sucesso e estimular a si e aos outros sempre em busca de melhores resultados;
  • antecipar tendências;
  • deverá ser capaz de criar ou integrar-se a ecossistemas para transformar as oportunidades de inovação em negócios.

Para se tornar um profissional em inovação, é exigido experiência, formação e muita dedicação. O gestor da inovação não é um super profissional do qual a empresa depende para inovar, mas uma pessoa que alia boa formação à características pessoais distintas capazes de estimular os outros a inovarem.

11. Especialista em Cloud Computing

conceitos básicos

Cloud computing já é um assunto em alta há alguns anos. As empresas tendem a investir cada vez mais em armazenamento de dados na nuvem para garantir a integridade e disponibilidade desses dados, principalmente aqueles que são críticos da organização.

Na maioria das empresas, essa responsabilidade acabava ficando para o setor de TI, sendo o gerente de TI quem administrava os dados na nuvem. Contudo, com o constante investimento nessa área, a tendência é que as empresas passem a contratar colaboradores especialistas em Cloud Computing para que fiquem dedicados integralmente a esse assunto.

Para ingressar na área, o profissional precisa de algumas habilidades que, com o curso de pós-graduação em Cloud Computing, ele irá aprender:

  • analisar os indicadores de ambientes computacionais;
  • verificar a evolução da infraestrutura;
  • otimizar recursos;
  • assegurar soluções funcionais em nuvem, de acordo com o desejo dos clientes, em relação à segurança, disponibilidade e desempenho;
  • conhecimento no negócio dos clientes e busca pela excelência
  • conhecimentos de softwares como, Perl, Ruby, Ruby on Rails, Phyton, Java e JavaScript.

12. Gerente de expansão de TI

Mais uma das profissões que prometem continuar crescendo é a de gerente de expansão de TI. Esse profissional sempre pode encontrar inúmeras oportunidades de emprego nos diversos segmentos de startups, mas agora até mesmo as empresas tradicionais estão contratando pessoas com essa qualificação.

O gerente de expansão de TI trabalha no direcionamento das informações por meio da base de dados da organização. Além disso, esse profissional tem a função de estudar mecanismos que possibilitem ampliar a infraestrutura tecnológica da empresa, assim como ajudá-la na adoção de tecnologias adequadas que façam a diferença diante da concorrência do mercado.

Para ser um especialista se tornar bem sucedido na área, é preciso ter algumas habilidades, que são explicadas melhor na graduação em Gestão da Tecnologia da Informação:

  • sempre manter-se atualizado para não ficar ultrapassado;
  • promover integração entre todos;
  • fazer uma gestão apropriada nos sistemas internos;
  • ter uma visão estratégica e não tenha decisões baseadas na intuição;
  • dominar outros idiomas.

13. Web designer

Um web designer é o profissional responsável por dar vida aos sites. Geralmente,
essa função compreende a parte do layout das páginas e estruturação dos componentes visuais, o que deve ser feito de uma maneira amigável e que permita o uso de acordo com o objetivo.

Esse designer segue padrões reconhecidos para a construção desse tipo de site, mas também é livre para pensar em ideias novas para a identidade visual.

Para ser um profissional empenhado na área, é necessário o conhecimento de algumas habilidades dentro da profissão, que são explicadas e ensinadas no curso online de Tecnologia e Projeto Web:

  • conhecer linguagens de programação;
  • ter um bom sendo de design;
  • saber como atender um cliente;
  • ter conhecimento de SEO;
  • saber administrar servidores web;
  • ter noção de gerenciamento de projeto.

É um especialista que sabe programar códigos e fazer com que o navegador execute o que ele deseja. Da mesma forma, ele é responsável por pensar em interações e animações, além de outros recursos que garantam uma ótima experiência para o usuário.

Curtiu o conteúdo do post? Deixe seu comentário nos contando se você deseja ingressar em uma dessas profissões ou caso já esteja em uma delas e queira nos falar sua experiência!

Autor:
Gabriella Uota
Redação Blog Impacta