Navegar no Blog Adzuna »

Como se destacar durante o curso de Engenharia Civil?

como se destacar durante o curso de engenharia

Com o mercado aquecido e expectativa de salários promissores, o curso de Engenharia Civil sempre figura entre os mais concorridos no vestibular. Mesmo assim, as turmas tendem a encolher no passar dos períodos, com poucos alunos efetivamente se formando ao final da faculdade.

Para desfrutar de um lugar ao sol no mercado de trabalho, é necessária muita dedicação. As disciplinas são complexas e difíceis, exigindo horas de estudo. Além disso, investir em atividades extra-curriculares, falar outros idiomas e ter iniciativa são qualificações que pesam no currículo.

Para entender melhor essa situação, o blog do Adzuna conversou com estudante de Engenharia Civil Eduardo Cavalcanti, fundador e editor-chefe do Blog da Engenharia, onde promove a troca de informações e experiências com milhares de estudantes e profissionais da área. Confira a entrevista exclusiva!

  1. A crescente demanda por engenheiros civis deve manter a profissão em alta nos próximos anos. Mas mesmo com milhares de profissionais sendo formados todos os anos, alguns setores da sociedade acreditam que seria necessário formar muitos mais. Você concorda?

Concordo de forma parcial, pois a questão não é apenas formar engenheiros e sim formar profissionais realmente capacitados. O Brasil conta com um banco de engenheiros desempregados bem grande, e isso deve-se pelo fato de os profissionais não buscarem evolução, e nem se prepararem de forma adequada para atender aos requisitos do mercado. Eu acredito que seja necessário, sim, formar muitos mais engenheiros, porém profissionais que não se contentem apenas com o conhecimento obtido na sua graduação.

  1. Quais são os ramos mais aquecidos hoje? Quais competências ou qualificações têm sido mais requisitadas?

Com toda certeza, as áreas relacionadas à infraestrutura (rodoviária, metroviária, aeroportuária e portuária) são os ramos mais aquecidos hoje em dia, e deverão continuar aquecidos pelos próximos 20 anos, no mínimo. Cada vez mais o mercado busca por profissionais com habilidade para trabalhar em equipe e para conviver com mudanças repentinas, comprometimento com a qualidade de seus serviços, iniciativa e liderança na tomada de decisões e ética.

engenheiro civil

  1. Os estágios em engenharia estão entre os mais bem pagos no país e o mercado de trabalho nesse campo está aquecido. Mesmo assim, as turmas começam com vários alunos, mas geralmente é possível contar nas mãos quantos chegam ao 10º período.

É normal em todo início de curso as turmas estarem lotadas, e a cada semestre que se passa as salas irem se esvaziando, resultando em poucos alunos efetivamente formados. Existem diversos fatores que contribuem para a desistência dos cursos de engenharia:

#Fator 1 – “Calor do momento”: No final do ensino médio muitos jovens prestam vestibular para engenharia por pressão dos pais, por verem notícias de que o setor está superaquecido, ou até mesmo por acharem que logo no primeiro semestre eles irão estar estagiando com um salário alto. Ao decorrer dos primeiros semestres, muitos alunos não conseguem se identificar com as disciplinas que são complexas e difíceis, e acabam desistindo.

#Fator 2 – “Falta de base no ensino médio”:  Ao ingressar nos cursos de engenharia, a maioria dos calouros simplesmente acha que será “tão simples” quanto no ensino médio, e se enganam completamente ao serem reprovados em 1,2,4,6 disciplinas ou mais em um curto período de tempo. Muitos acabam conseguindo estudar por conta, melhorando o seu raciocínio e concluem o curso, porém a grande maioria acaba desistindo antes mesmo de completar 2 anos de curso.

engenharia-civil

#Fator 3 – “Festas, bares e morar sozinho”: – Na busca de um ensino de qualidade, muitas pessoas prestam vestibulares em diversas cidades/estados, e quando são aprovados em uma universidade longe de casa eles têm que ir morar sozinhos. Essa fase de transição é muito complicada, pois nesse momento eles passam a comandar as suas vidas, sem depender mais dos seus pais – é um mundo novo. Até aí tudo bem, porém muitos desses estudantes acabam não conseguindo  administrar essa mudança radical em suas vidas e caem no mundo das festas e acabam frequentando-as com frequência muito alta, deixando os estudos em segundo plano. Resultado? Desempenho baixo na faculdade, o que após alguns semestres os leva à desistência.

#Fator 4 – “Mercado para estagiários”: Dependendo da região que o estudante morar, a procura por estagiários pode ser pequena, chegando em alguns casos a ser praticamente nula. Isso resulta em uma desmotivação por parte de parte dos alunos, que às vezes concluem de forma imatura a idéia de que o mercado não está mais aquecido, levando-os a mudar de área antes mesmo de se formarem.

  1. E como você vê o futuro da profissão?

A profissão tem um futuro muito promissor e vem crescendo muito, não só no Brasil como em diversos outros países. Porém atualmente as empresas não buscam mais por apenas engenheiros “comuns”, elas buscam profissionais com qualificações extra-curriculares e que possuem diferenciais em sua formação, ganhando destaque no mercado.

Sabemos que existem diversas universidades espalhadas pelo país que formam centenas de engenheiros a cada ano, porém em diversas universidades a qualidade dos cursos não é satisfatória, o que acaba resultando em profissionais que não conseguem espaço no mercado de trabalho e partem para outras áreas apenas para poderem se sustentar.

engenharia-civil

Por fim, os profissionais que estiverem em constante atualização do seu currículo acadêmico e acompanhando as tendências de mercado têm, sim, um futuro muito promissor. Para finalizar, gostaria de deixar uma lista com algumas coisas que você deve fazer antes de se formar:

– Estudar para concursos;

– Estudar outros idiomas (inglês é básico, tente o alemão e talvez o mandarim);

– Fazer cursos extra-curriculares no SENAI ou em outras escola técnicas;

– Aprender e se interessar por empreender, investir, arriscar;

– Descobrir que você é melhor do que você se auto-julga;

– Descobrir que o sucesso não vai bater na sua porta, e você não vai obtê-lo nas festas de quinta a domingo.

Eduardo Cavalcanti (@eduardocavalcanti) é blogueiro e quase Engenheiro Civil. É também fundador e editor-chefe do Blog da Engenharia. Nas horas vagas, nutre paixão por séries de TV, fotografia, viagens, redes sociais, música e tecnologia.